terça-feira, 8 de março de 2016

Dengue e outras doenças provocadas pelo Aedes aegypti - Textos publicados no Correio do Leitor - Correio Popular . Comentários


Por muitos anos, quando estava na ativa, em sala de aula, além de trabalhar, todos os anos com os alunos a prevenção sobre a Dengue e outras doenças, contando também com a colaboração dos familiares na entrega de folhetos sobre a Dengue para vizinhos, enviei textos ( quatro abaixo) para o jornal Correio Popular de Campinas, que foram publicados desde 2011. Nessa época quase não se falava em ZIKA (floresta Zika na república de Uganda) e nem em febre Chicungunya (África. Ásia Oriental e Índia). A picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti, além dessas doenças provoca também a febre amarela mas esta, felizmente, tem vacina que vale por 10 anos.

Dengue
Alcínio S. Daher

Professor, Campinas  ( Correio Popular de 22/11/2011 )


Todo ano é a mesma história. Autoridades e imprensa em geral, mostrando capitais de vários Estados, com surto endêmico e que pode virar agora, após as chuvas, uma grande epidemia da doença. Na escola que leciono, fazemos um trabalho todo ano com os alunos para que falem com suas famílias sobre o assunto e conscientizem os vizinhos para que façam parte dessa corrente positiva e preventiva. Não adianta nada uma casa manter seu ambiente livre de criadouro, se seu vizinho não faz o mesmo. (…) O trabalho dos agentes de saúde é muito importante, só que podemos multiplicar por milhões (…). As prefeituras devem, também, resolver os problemas dos imóveis abandonados ou mal cuidados.


Dengue
Alcinio S. Daher
Professor, Campinas  ( Correio Popular de Campinas - 27/02/2013.)
No Verão aumenta o número de pessoas contaminadas pelo vírus do mosquito da dengue. Há mais de 10 anos retiro na Sucen-Campinas, ou recebo na escola em que trabalho, em Valinhos, folhetos para fazer um trabalho conjunto com aluno, escola e família. Cada aluno leva para casa 6 folhetos. Com a companhia dos pais ou responsáveis, vão até 5 vizinhos e fazem um trabalho de conscientização para evitar os criadouros do mosquito. Marcam no caderno o nome da pessoa que recebeu o folheto, rua, número e bairro. Eles são avaliados por isso e praticam um ato de cidadania.Tenho plena certeza de que, se todas as escolas municipais e estaduais fizessem o mesmo, o número de casos diminuiria bastante e isso ajudaria em muito os agentes de saúde. Em várias cidades vemos prédios (em construção) abandonados há anos, terrenos baldios com lixo, que podem conter os criadouros.

       


  Aedes aegypti (Correio Popular de 07/02/2016)- Aedes 2

Muitas pessoas, como eu, sugeriram há anos a participação dos alunos, familiares e comunidade no combate ao criadouro do mosquito Aedes aegypti; no começo só se falava em Dengue do tipo I ao VI, dengue hemorrágica e a partir de 2015 começaram a aparecer outras doenças provocadas pela picada do mosquito fêmea do Aedes: a Febre Chicungunya e o virus Zika. O ministro da educação, Aloísio Mercadante, nesse dia 04/02/2016, resolveu pedir a colaboração de todos ligados à educação o combate ao criadouro do mosquito.

Fico feliz por isso porque, podemos ter a certeza que o aumento do leque de atuação da sociedade estudantil e familiares, orientado pelos professores poderá diminuir em muito as pessoas infectadas.

Não podemos esquecer que a ocupação desordenada dos espaços urbanos, lixões, terrenos baldios , casas com piscinas abandonadas, calhas com água parada e outros criadouros tem aumentado a incidência dos criadouros.
x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.

Conclusão: Precisamos repensar algumas atitudes de alguns seres humanos que tem provocado o aumento dessas doenças, tais como: desmatamento, excesso no uso de agrotóxicos na lavoura, eliminação de morcegos e pássaros que se alimentam de insetos, criadouros nas casas, esqueleto de prédios, piscinas abandonadas, descarte irregular de lixos, móveis quebrados, restos de construção, latas de tinta e garrafas PET  jogadas em terrenos baldios, calhas com acúmulo de água parada, pneus velhos e outros.

IMPORTANTE: não é só a atitude de parte da população que tem relação com o aumento dos criadouros; muitas cidades tem praças abandonadas (e infelizmente algumas pessoas vendo o abandono do local,ao invés de cobrar da prefeitura (AD.Regional)a limpeza, jogam entulho e os mais diversos tipos de materiais), como vemos quase todos os dias nas reportagens das Redes de TV.





Postar um comentário