terça-feira, 21 de abril de 2015

Calçadas e Bocas de Lobo

 Calçadas : sabemos das dificuldades de se administrar Campinas (mais de 1 milhão de habitantes); mas se não for feito um mutirão para exigir os consertos das calçadas do centro da cidade e adjacências, muitas pessoas poderão cair e se machucar, principalmente crianças,  idosos e pessoas com problemas para se locomover. Cada um faz o que quer nas calçadas; cimentado, asfalto, piso esmaltado, granito, pedra miracema e outros. Algumas calçadas são revestidas por  tijolo de cimento colorido (muito bom por sinal; vemos por exemplo no Centro de Convivência , em volta do Sesc Campinas e em outros lugares). Muitas calçadas são muito inclinadas o que dificulta a passagem dos pedestres.

As calçadas lindas que tínhamos antigamente quase não existem mais; eram feitas com pedra mista (branca, preta ou rosada), formando lindos desenhos de andorinhas, de ondas e outros.

Sugestão: Por uma questão de higiene e limpeza, as lojas do centro de Campinas poderiam lavar as calçadas da frente do seu estabelecimento usando um balde  de  água misturada com água sanitária.


Bocas de Lobo; o que falar então? Infelizmente o centro da cidade de Campinas virou um banheiro a céu aberto com algumas pessoas e animais (levados pelo dono ou não), fazendo suas necessidades nas calçadas, árvores , muros, portas e paredes de lojas, etc. É um caso de saúde pública que precisamos resolver; Além do mau cheiro, quando chove , os detritos (fezes e urina) são levados para as bocas de lobo, misturando-se aos lixos descartados por pessoas mal educadas (jogam os mais diversos tipos de resíduos nas ruas e calçadas). E essa sujeira toda , vai para os córregos e rios, aumentando os custos de tratamento do esgoto e da água. Entrei em contato com a Sanasa mas recebi a seguinte resposta: O serviço de limpeza das bocas de lobo é de responsabilidade da Prefeitura de Campinas.


Obs: Todos poderão ajudar: Observando o local que está com mau cheiro e ligando no 156 para solicitar a limpeza. É um ato de Cidadania que todos nós poderemos praticar sempre que observarmos alguma situação diferente da normal.
Postar um comentário